Transporter 4 num jardim na Alemanha
Transporter 4 num jardim na Alemanha
Transporter 4 num jardim na Alemanha
Transporter 4 num jardim na Alemanha

30 anos da T4: quando a Volkswagen reinventou o conceito de van 

30 anos da T4: quando a Volkswagen reinventou o conceito de van 

Com o lançamento da T4 em 1990, chegou a primeira van da Volkswagen com tração dianteira. Com cerca de dois milhões de unidades produzidas, a T4 da Volkswagen Veículos Comerciais deu início a uma nova era.

Com o lançamento da T4 em 1990, chegou a primeira van da Volkswagen com tração dianteira. Com cerca de dois milhões de unidades produzidas, a T4 da Volkswagen Veículos Comerciais deu início a uma nova era.

1990-2020: 30 anos da Transporter 4

Há 30 anos a Volkswagen ao reinventar a sua gama de Veículos Comerciais, mudou o paradigma.
Em setembro de 1990 – após a produção de 6,7 milhões de modelos T1, T2 e T3 com o motor montado atrás – começou uma nova era com o lançamento da T4 com o motor montado em posição dianteira. Os modernos motores em linha com catalisador substituíram os “venerados” motores boxer. Antes do seu lançamento, a marca tinha investido mais de dois mil milhões de marcos no desenvolvimento da nova T4.

Vista diagonal da T4.

Em setembro de 1990 – poucas semanas antes da reunificação da Alemanha (Oriental e Ocidental), a Volkswagen entregou os primeiros novos modelos T4 aos seus concessionários.
No momento em que a Europa de Leste se abria ao Ocidente e em que a economia crescia de modo robusto, a mudança da tração traseira para a tração dianteira, também motivou alterações radicais em todos os domínios na nova T4: no design, na geometria das suspensões, nos motores como ainda no espaço oferecido. Principalmente na parte traseira, onde na T3 o motor Boxer precisava de mais espaço para a sua montagem e que agora passou a estar disponível. O novo trem de rodagem e a geometria da suspensão permitiam que o desempenho da Transporter estivesse ainda mais perto do encontrado num ligeiro de passageiros. A Volkswagen também melhorou significativamente as características de segurança – nomeadamente em termos de colisão – com uma carroçaria completamente nova. 

O espaço extra tornou a gama mais versátil

Pela primeira vez, a Volkswagen passou a oferecer a Transporter com duas diferentes distâncias entre eixos. A nova carroçaria também permitiu oferecer uma pick-up com uma modular cabina para tarefas específicas em termos industriais. Enquanto isso, com os seus diversos acessórios - compostos por cama, mesa dobrável e bancos individuais na segunda fila – a Multivan utilizou inteligentemente no interior o espaço extra. O conceito de motor dianteiro também garantiu uma liberdade completamente nova para a montagem da icónica autocaravana California.

Novos motores de quatro e cinco cilindros, regresso à tração integral

Na fase de lançamento, a nova Pão de Forma foi oferecida com três motores a gasolina e dois Diesel – unidades de quatro e cinco cilindros com potências que variavam entre 60 cv (44 kW) e 110 cv (81 kW). Todos os modelos T4 de cinco cilindros, e ainda a Caravelle GL e a Multivan, estavam desde o início equipadas com direção assistida. Os motores de cinco cilindros também podiam ser combinados opcionalmente com a transmissão automática.

A partir de 1993, a Volkswagen voltou a oferecer um sistema de tração integral para a Pão de Forma: a T4 Syncro. A tração integral exigia um motor de cinco cilindros, mas estava disponível para todas as carroçarias e diferentes especificações.

A Volkswagen Veículos Comerciais torna-se independente e a T4 é melhorada 

Em 1995, a Volkswagen Veículos Comerciais tornou-se uma marca autónoma da Volkswagen AG. Um ano depois, a T4 recebeu uma abrangente atualização. As versões de passageiros/autocaravanas eram identificáveis por luzes indicadoras brancas e não amarelas e o “Happy Face” é agora favorecido pelo novo design da frente. A Multivan, Caravelle e California passam a ser mais compridas. Os travões de disco nas quatro rodas, para-choques com absorção de energia, uma nova gama de jantes e faróis num design cónico e em forma de cunha melhoraram a aparência destas versões. 

Houve algumas alterações, particularmente de grande monta debaixo do capot. A T4 passou a ser alimentada por um motor de cinco cilindros de 2,5 litros que debitava uma potência de 102 cv (75 kW), o primeiro motor de injeção direta turbo diesel (TDI). A frente mais longa da Multivan, Caravelle e California também facilitou a montagem de um novo motor a gasolina de seis cilindros com 2,8 litros de cilindrada e potência de 140 cv (103 kW). Em 1998, a Volkswagen Veículos Comerciais adicionou um outro motor: um TDI de 2,5 litros que oferece uma potência de 151 cv (111 kW), o bloco Diesel mais potente da gama T4. Na viragem do milénio, o motor V6 ganha potência, desenvolvendo agora 204 cv (150 kW). 

Em 2000, Portugal é o primeiro pais a adotar a frente mais longa em todos os modelos, abandonando os motores atmosféricos e passando a disponibilizar só motorizações TDI com 88 cv (I azul), 102 cv (I prateado) e 150 cv (I vermelho). Agora já se podia comprar uma Transporter furgão, Kombi ou chassis cabina com a frente sorridente da Multivan.

Tal como acontece com a T3, o último modelo foi uma exclusiva “Last Edition” 

A Multivan “Last Edition” com uma especificação base muito exclusiva anunciava o final da T4 em 2003. As características premium incluíam bancos em alcântara e couro. Nestes 13 anos foram produzidos cerca de dois milhões de unidades da T4.

Em 2020 – 30 anos após o lançamento – as primeiras T4 estão a ser recuperadas pela Volkswagen e a receber a matricula começada por H da fábrica em que nasceram em Hannover. Atualmente as T4 começam a ter mais procura como viaturas clássicas, independentemente da idade. As favoritas são as California e algumas séries especiais como as “Last Edition” ou ainda as motorizações V6. A T4 parece estar no rumo certo para se tornar num novo clássico. Augura-se um futuro tão emocionante como aquele que as T1, T2 e T3 já desfrutam. 

Vista diagonal da T4.

O seu browser não é suportado!

Faça download de um browser mais recente aqui ou aqui.