2.7.59.9, 2018-10-09 10:11:18
Um lago banhado por sol e rodeado por árvores

WLTP.

Mais próximo do consumo real: WLTP revê os valores de consumo.

A partir de setembro de 2017 aplicam-se valores atualizados de consumo para todos os novos veículos de passageiros e a partir de setembro de 2018 para todos os novos veículos comerciais ligeiros. Estes são calculados de acordo com os novos padrões WLTP. WLTP é a sigla de Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Procedure e promove um processo de teste uniforme a nível mundial para determinar o consumo de combustível e de emissões de gases de escape. Aqui pode obter mais informações sobre o que isto significa para si e para o seu veículo comercial Volkswagen.

Informação mais clara graças ao WLTP.

O WLTP renova os processos de medição e de ensaio da indústria automóvel. O que é que isto significa para si e para o seu veículo comercial ligeiro? Aqui pode encontrar todas as informações relevantes sobre o novo procedimento e as suas vantagens.

NEDC vs. WLTP: comparação dos procedimentos de teste.

Distâncias mais longas, tempos de paragem mais curtos: O WLTP põe à prova o procedimento de teste da medição do consumo de combustível e das emissões de CO2 de um veículo. Eis as diferenças entre os processos de teste:

image

Visão geral do NEDC.


O procedimento de teste NEDC normalizado aplica-se a todos os veículos de passageiros e veículos comerciais ligeiros. Foi implementado em 1992 pela União Europeia para determinar o consumo de combustível e emissões específicas do veículo e fornecer valores comparáveis. Aqui pode ver um resumo do enquadramento para estas medições.

image

Visão geral do WLTP.

O procedimento de teste global harmonizado para veículos ligeiros ou WLTP, consiste numa norma mundial para testar os veículos de passageiros e os veículos comerciais ligeiros. Este procedimento é válido desde 1 de setembro de 2017 para veículos passageiros. A partir de setembro de 2018 os parâmetros de teste mais dinâmicos passam a assegurar especificações de consumo mais realistas para veículos comerciais ligeiros. Aqui pode ver um resumo do enquadramento para estas medições.

image

Visão geral do RDE.

O procedimento de testes RDE, junta-se ao WLTP e está também a ser usado na Europa, desde setembro de 2017. RDE é a abreviatura de "Real Driving Emissions" (emissões em condições reais de condução). Ao contrário do NEDC e do WLTP, as medições de emissões não são realizadas num banco de ensaio, mas sim sob condições de condução reais. As emissões de poluentes (NOx (óxido de azoto) e partículas/partículas finas) registadas durante a condução são designadas emissões reais.

Durante as medições RDE, o veículo é conduzido em diversos tipos de percursos, compostos respetivamente por um terço de circuito urbano, um terço em estrada nacional e um terço em autoestrada, com acelerações e desacelerações aleatórias, naturalmente sob o estrito cumprimento do Código de Estrada. A velocidade média prevista para o circuito urbano situa-se entre 15 e 40 km/h e um máximo de 60 km/h e em estrada nacional entre 60 e 90 km/h. Em autoestrada pode-se conduzir a 145 km/h e durante um breve período até 160 km/h.

O veículo está equipado com o sistema de medição PEMS (Portable Emission Measurement System) – sistema portátil de medição de emissões. Este equipamento mede a emissão de gases poluentes (óxido de azoto e monóxido de carbono). A viagem dura entre 90 e 120 minutos. A temperatura exterior tem de se situar entre -7 e +35 °C e o ar condicionado pode ser ligado.

 

Objetivos do novo processo de medição.

O ciclo de condução WLTP redefine os parâmetros de teste para determinar o consumo de combustível e as emissões de gases de poluentes. Os benefícios em resumo são:

Condução da Caddy Kombi por uma estrada de montanha com bom tempo

Transparência.

O novo procedimento de teste avalia de uma forma mais precisa o consumo real de um veículo numa utilização quotidiana.

O WLTP recorre a um perfil mais semelhante ao consumo diário real, do que a norma anterior NEDC. Esta consistia num teste de laboratório sintético e servia, principalmente, para permitir comparações entre os diferentes veículos, sem refletir de forma realista o consumo real. Enquanto os valores de consumo eram medidos, anteriormente, em condições de laboratório abstratas, o novo procedimento permite, agora, elaborar um prognóstico mais preciso do consumo real do automóvel, graças ao aperfeiçoamento dos parâmetros de teste. O WLTP pretende simular o comportamento real do automóvel, a fim de obter resultados significativamente mais realistas.

Diagrama de um mapa do mundo interligado

Normas.

A nova norma WLTP assegura resultados de testes comparáveis em todo o mundo.

Um dos principais objetivos do procedimento WLTP é fornecer um método harmonizado para determinar os valores das emissões de gases poluentes e do consumo de energia para diferentes tipos de propulsão como, por exemplo: gasolina, diesel, GNC ou até mesmo eletricidade. Se o procedimento de medição WLTP for aplicado corretamente, um veículo do mesmo tipo tem de fornecer o mesmo resultado em todas as partes do mundo. É esta necessidade de comparação que torna imprescindível efetuar uma medição em laboratório.

Por este motivo, o consumo de combustível e as emissões são analisados de forma fiável no dinamómetro de rolos, com um perfil de condução dinâmico.

VW Caddy, Transporter, Crafter e Amarok em branco candy ou prateado reflexo à frente de edifícios baixos

Proteção do clima.

Uma informação mais realista do consumo ajuda a alcançar metas climáticas internacionais e a reduzir a pressão sobre o ambiente.

A redução de CO2 é um tema central no desenvolvimento de veículos. O WLTP permite verificar e documentar o cumprimento dos limites internacionais impostos às emissões de CO2. 

Em 2010 só na UE foram emitidas 4,72 mil milhões de toneladas de emissões de CO2, sendo 19% provenientes de veículos motorizados*. Por este motivo, a União Europeia pretende reduzir as emissões em 20% até 2020**. Este objetivo deve ser alcançado com a ajuda do WLTP. Assim como o consumo de combustível, as emissões de CO2 de um veículo dependem do modelo específico. O WLTP cria uma maior transparência na comparação do consumo de energia e das emissões de CO2 de diferentes veículos. Deste modo, os valores de medição não dependem do fabricante ou do tipo de veículo. E são tendencialmente superiores aos do ciclo NEDC. Por este motivo, é de esperar que determinados modelos e as suas motorizações sejam otimizados a favor da proteção climática.

*Informação com base no documento “Mobility of the Future – Safe and Tested”, 16.03.2015, TÜV e.V.

**Informação com base no documento “CO2 regulation for passenger vehicles”, publicado pelo Instituto Alemão de Economia de Colónia em 2013.

Perguntas e respostas.

As perguntas e respostas mais importantes sobre os novos valores de consumo.

Um ciclo de condução determina as condições em que são medidos o consumo de combustível e a emissão de CO2 de um veículo. O objetivo consiste em simular uma viagem de carro média realista. De modo a permitir que o fabricante seja capaz de indicar valores comparáveis durante o processo de homologação e na comercialização de um veículo, o ciclo de condução define um determinado enquadramento como, por exemplo: a temperatura inicial, a velocidade ou a duração da medição.

EU6 ou Euro 6 são as normas atuais de emissões para veículos, que determinam os limites de emissões poluentes na União Europeia.

O ciclo de ensaio NEDC criado em 1992 pela União Europeia está desatualizado e não é capaz de reproduzir de forma representativa o comportamento de condução quotidiano. Por outro lado, a nova norma WLTP visa garantir que as emissões e os valores de consumo medidos no ensaio de homologação de um veículo correspondam aos que se verificam sob condições de funcionamento normais. Deste modo, em comparação com a norma NEDC há diferenças tanto em termos do processo como também no ciclo de condução propriamente dito.

Por exemplo, os novos parâmetros de teste incluem uma distância de teste mais longa, tempos de paragem reduzidos, velocidades médias mais elevadas e a consideração de equipamento opcional, assim como soluções de carroçaria e conversão opcionais. De forma geral, estes novos parâmetros resultam em especificações de consumo mais elevadas.

Ao passo que o WLTP ocorre durante 30 minutos sobre um banco dinamométrico de rolos sob condições padrão, o teste RDE é efetuado em vias públicas. Na medição RDE são conduzidos vários tipos de percursos com acelerações e desacelerações aleatórias e com uma duração entre 90 e 120 minutos. Diferença adicional: o WLTP mede CO2, gases de escape e consumo e o RDE mede apenas os gases de escape e as partículas.

O novo ciclo WLTP tornou-se obrigatório por lei a 1 de setembro de 2017. A partir de setembro de 2017 todos os novos modelos e motores de veículos de passageiros têm de ser identificados pelos fabricantes com os valores medição de emissões e de consumo em conformidade com o WLTP.

O procedimento WLTP passa a aplicar-se a veículos comerciais ligeiros a partir de 1 de setembro de 2018. A Volkswagen Veículos Comerciais é afetada a partir do verão de 2018 pela alteração dos novos modelos introduzidos em termos de homologação de veículos de passageiros e motorizações. Os modelos com homologação de veículo de passageiro serão sucessivamente alterados até 1 de setembro de 2018, os modelos com homologação de veículo comercial ligeiro seguir-se-ão, o mais tardar, 1 de setembro de 2019.

A partir de 1 de setembro de 2019, todos os veículos têm de ser identificados de acordo com os valores de medição de consumo e de gases de escape do WLTP.

Sim, os veículos elétricos também têm de ser testados de acordo com as novas regras do WLTP.


Os valores determinados de acordo com o processo de teste WLTP visam uma apresentação mais realista do consumo e das emissões de CO2 e de gases de escape. Isto pode tornar necessário apresentar consumos de combustível e emissões de CO2 mais elevados para veículos com motor de combustão e na redução da autonomia de veículos elétricos. A escolha individual do motor e do equipamento opcional também têm repercussões sobre os valores de consumo e de CO2. Dependendo da legislação nacional, isto também poderá acarretar uma maior carga fiscal sobre as emissões de CO2.

O processo de teste RDE, por seu lado, mostra o desempenho em termos de gases de escape do veículo durante a condução em trânsito real.

Os modelos com homologação de veículo de passageiro serão sucessivamente alterados até 1 de setembro de 2018, os modelos com homologação de veículo comercial ligeiro vão seguir até, o mais tardar, 1 de setembro de 2019.

Não, de momento não estão previstas alterações à gama de modelos. Embora seja necessário otimizar determinados modelos e respetivas motorizações, de modo a alcançar uma eficiência ainda mais elevada e a cumprir os respetivos requisitos em termos de emissões. Não irá ocorrer uma supressão de modelos em função do WLTP.

Próximos passos.